Blog Produção Jr.

VSM: Entenda o potencial do Mapeamento do Fluxo de Valor

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
VSM
Você verá neste artigo:

VSM: Entenda o potencial do Mapeamento do Fluxo de Valor

Você já ouviu falar no VSM? O Value Stream Mapping (ou Mapa de Fluxo de Valor) é uma das ferramentas da filosofia Lean. Com o objetivo de reduzir desperdícios e aumentar o valor entregue para os clientes, o Lean surgiu na manufatura japonesa e se expandiu para todo o mundo industrial e, mais recente, para os serviços. Saiba mais assistindo ao nosso vídeo, clicando aqui.

Para se tornar mais competitivo no mercado, é necessário que o cliente identifique o maior custo-benefício em seu produto, o que é possível através da identificação do que agrega valor para ele. Se você busca melhorar os seus resultados, conseguindo fazer mais com menos recursos, a utilização dessa ferramenta pode ser um ótimo começo! 

Mas como funciona o VSM?

O Mapa de fluxo de valor é um diagrama que representa as etapas dos fluxos de material, informação e pessoas dentro de um processo, indo desde o pedido até a entrega. O objetivo é identificar quais as etapas dos processos que agregam valor ao produto, a partir da visão do cliente, sendo possível trabalhar com a redução daquelas que são consideradas desperdícios.

A ferramenta permite que sejam medidos e comparados pontos passíveis de melhoria, assim podendo ser priorizados e desenvolvidos, entregando maior valor para o cliente, muitas vezes sem o acréscimo de recursos no processo. Tais resultados proporcionam o aumento da vantagem competitiva do seu negócio.

Qual a diferença entre o VSM e o mapeamento de processos?

A principal diferença está no foco das duas ferramentas. Enquanto o mapeamento de processos focaliza em etapas individuais, uma sequência de passos para realizar uma atividade, o Mapeamento do Fluxo de Valor foca no fluxo inteiro, da entrada até a saída, de materiais e informações. 

Além disso, o objetivo para a execução de um mapeamento de processos está numa maior padronização desses processos, permitindo um conhecimento pelos diferentes agentes e redução dos erros e variações. Já a finalidade do VSM está na identificação de um estado futuro, com melhorias a serem feitas através de outras ferramentas Lean, como por exemplo o 5S, Kaizen e Poka Yoke

Para saber mais sobre os temas falados aqui, leia o nosso artigo sobre a aplicação do Lean na saúde, Lean Healthcare, ou clique nos nomes das ferramentas acima. Baixe também o nosso ebook sobre Mapeamento de Processos, gratuitamente, e aprenda o passo a passo para a sua execução.

Quais as informações presentes em um Mapa de Fluxo de Valor? 

Primeiramente, é preciso falar que são dois os mapas que devem ser realizados: o do estado atual e o do estado futuro. O primeiro irá mostrar o que acontece, sinalizando através de “balões de explosão” os pontos de melhoria identificados, além dos tempos, informações, materiais e pessoas envolvidas em cada processo. Assim, os principais componentes para desenhá-lo são:

  • Principais processos, pacientes, clientes e fornecedores internos e externos envolvidos;
  • Anotação dos dados reais do fluxo, como a sequência em que ocorrem e recursos envolvidos;
  • Medição dos tempos de execução de cada passo, dos tempos de espera e dos estoques entre etapas;
  • Desenho de todas as formas de comunicação, sejam elas manuais, eletrônicas, através de fala ou de documentação;
  • Cálculo dos tempos totais de ciclo e de espera.

Após todas as informações serem anotadas, é feito um desenho do processo como ele acontece, ou seja, o mapeamento do estado atual. Assim, possibilita-se que seja analisado o processo, dividido em três fases:

  1. Etapas que geram valor ao produto;
  2. Etapas que não geram valor, mas são indispensáveis (geralmente ligadas à manutenção da qualidade); e
  3. Etapas que não geram valor.

Assim, busca-se a redução ou eliminação do terceiro tipo de etapas, pois são consideradas como desperdícios no Lean. A otimização das etapas que não podem ser eliminadas, mas não agregam valor ao cliente e, por fim, uma maior dedicação àquelas etapas que de fato geram valor ao cliente. Abaixo, temos um exemplo de VSM:

VSM

Quais são as vantagens do uso do VSM?

O desenho do Mapa de Fluxo de Valor permite a identificação das atividades principais do ponto de vista do cliente, possibilitando que um nível mais alto de desempenho seja alcançado. Assim, outras práticas e ferramentas podem ser utilizadas na resolução das melhorias encontradas, sem que seja necessário, por exemplo, o aumento da capacidade ou contratação de pessoal, por exemplo, por diversas vezes.

São vários os softwares para a realização deste mapa, como por exemplo o Microsoft Visio, Tableau, Lucidchart e Smartdraw. Com um fluxo otimizado, focado no cliente, é possível atingir muito maior competitividade, aumentar a satisfação dos consumidores e ainda reduzir alguns dos custos envolvidos. Sendo, por vezes, uma ótima estratégia competitiva.

Gostou do nosso conteúdo? Veja mais no nosso blog e em nossas redes sociais! A Produção Jr oferece serviços para auxiliar na otimização de seus processos e fluxos, entre em contato para marcar um diagnóstico online e gratuito.

Skip to content