Blog Produção Jr.

Crise econômica do novo coronavírus: como o governo e os bancos estão reagindo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Você verá neste artigo:

Crise econômica do novo coronavírus: como o governo e os bancos estão reagindo


Ao início do ano de 2020, era muito difícil prever ou sequer imaginar que o planeta enfrentaria uma pandemia como a que estamos enfrentando no momento, muito menos a crise econômica que a seguiria. O novo coronavírus já representa, no Brasil, 46.510 mortes (até 17/06/2020 às 18h45, segundo o Ministério da Saúde) e mais de 950 mil casos confirmados. 

A facilidade de proliferação desse vírus foi o que levantou a necessidade da instituição de medidas de isolamento social, a fim de conter seu avanço e conseguir controlá-lo diante de um sistema de saúde enxuto e com baixo investimento.

Nesse cenário, os impactos em uma economia ainda retraída aumentaram, gerando uma crise econômica onde a maioria dos efeitos foram sentidos com maior força pelas médias e pequenas empresas, trabalhadores autônomos, informais e pelos desempregados. 

A Produção Jr pode te auxiliar na contenção de custos na crise econômica! Conheça nosso serviço de plano financeiro clicando aqui!

Assim, tornou-se importante a participação da máquina pública para diminuir os efeitos dessa crise econômica e conseguir ajudar as empresas e pessoas que estavam sendo impactadas por esse cenário. 

Nesse sentido, algumas medidas foram tomadas pelo governo, com diferentes intenções e impactos. As propostas de auxílio nesse período, por exemplo, atingem desde o cidadão até o grande empresário, através de empréstimos, facilidades de créditos, auxílios emergenciais, dentre outros. 

As medidas dividem-se em Medidas de complemento de renda familiar, Medidas de manutenção de emprego e Medidas de auxílio financeiro a empresas. Ao tratarmos das medidas de auxílio financeiro às empresas, consideramos algumas medidas globais, independente do porte das empresas

Medidas Globais:

  • Redução da Taxa Selic para 3,75% ao ano
  • Alteração dos vencimentos:
    • Competências 03, 04 e 05 do valor de imposto devido (Simples Nacional) para os dias 20/10, 20/11 e 20/12, respectivamente.
    • Competências 03 e 04 da contribuição previdenciária patronal para as seguintes datas: 20/08 e 20/10, respectivamente, com ausência de multas e juros
    • Competências 03 e 04 da contribuição ao PIS/COFINS para as seguintes datas: 25/08 e 25/10, respectivamente, com ausência de multas e juros
  • Financiamento de salários (até 2 salários mínimos por trabalhador por mês) para empresas a juros de 3,75% ao ano, 6 meses de carência e 36 meses para pagar o empréstimo. Requisitos: empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões e não ter demissões por 2 meses. 
  • Alteração do prazo final de entrega:
    • DCTF (Débitos e Créditos tributários federais) das competências 02,03 e 04 até o dia 21/07/2020 com ausência de multas e juros
    • EFD (Escrituração fiscal digital) das competências 02,03 e 04 até o dia 14/07/2020 com ausência de multas e juros
    • DEFIS (Declaração de informações socioeconômicas e fiscais anual) até 30/06/2020
  • Suspensão e adiamento das cobranças promovidas pela união por 90 dias
  • Prorrogação por 90 dias de todas as Certidões Negativas de Débitos vigentes em 24/03/2020

 

Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), destinado a:

  • Micro e pequenas empresas, com faturamento de até R$4,8 milhões por ano
  • Novas companhias, com menos de um ano de funcionamento (o limite do empréstimo será de até metade do capital social ou de 30% da média do faturamento mensal)
  • O valor poderá ser dividido em até 36 parcelas. A taxa de juros anual máxima será igual à Taxa Selic (atualmente em 3,75% ao ano), acrescida de 1,25%.

Além disso, houve a simplificação e desburocratização dos critérios para a produção de EPI’s na luta contra o novo coronavírus e definição de procedimentos temporários para registro de medicamentos, produtos biológicos e produtos para diagnóstico in vitro, além da  mudança pós-registro para os dois primeiros .

Como aproveitar essas medidas de uma maneira estratégica para seu negócio?  Clique aqui e veja como a Produção Jr pode te auxiliar na superação da crise! Entre em contato conosco para um diagnostico gratuito! 

Todas as informações sobre medidas do governo foram retiradas do site oficial do Ministério da Economia: https://www.gov.br/economia/pt-br

Medidas dos bancos privados no combate à crise econômica 

Os bancos privados também entraram na lógica de auxílio nesse momento de pandemia e tomaram algumas medidas para ajudar pessoas e empresas a passarem por esse momento de uma forma menos difícil, principalmente com mais fôlego.

Sendo assim, essas ações são praticamente parecidas e estão inseridas na renegociação de dívidas e contratos de créditos já existente, buscando principalmente alongar as parcelas e tirar a necessidade de pagamentos nesses meses de pandemia sem alteração das taxas estabelecidas no contrato

Assim como no BNDES, o pedido de crédito nos bancos privados depende de negociação entre o banco e o cliente, e pode ser necessária a apresentação de um plano de negócios ou um plano de retorno de investimento.

Fonte: Sites oficiais dos bancos (https://banco.bradesco/html/classic/index.shtm ;

https://www.itau.com.br/ ;

https://www.santander.com.br/)

 

Itaú:

Renegociação de contratos com até seis anos para prazo final de pagamento de empréstimos e financiamentos. O banco também aumentou de 60 para 120 dias o prazo para prorrogação de parcelas de crédito pessoal. Neste caso, as parcelas seriam recalculadas e o primeiro pagamento pode ser feito em até 120 dias após fechada a renegociação.

No caso de pequenas e médias empresas, o alongamento de contrato de empréstimos pode ser feito por cinco anos e o prazo para prorrogação de parcelas chega até 180 dias, havendo a possibilidade de alongamento de prazo e carência de capital de giro, parcelamento das linhas de cheque especial e conta garantida.

Os contratos de créditos do Itaú são: Capital de giro, Cheque especial, Conta garantida, Antecipação de recebíveis, Empréstimo consignado, Aquisição de equipamentos e veículos, BNDES, Fiança, Crédito Rural, Crédito imediato e Crédito Imobiliário

Bradesco:

O Bradesco prorrogou em até 120 dias o pagamento das parcelas dos empréstimos e financiamentos.

Os contratos de crédito do Bradesco são: Capital de giro com e sem garantia, CDC outros bens e serviços, Financiamento de veículos, Microcrédito produtivo orientado, Reorganização financeira, Renegociação de dívidas, crédito consignado e crédito imobiliário

Santander:

O Banco Santander permitiu que seus clientes parcelem suas faturas de cartão de crédito em até 24 vezes, com 50% de descontos nos juros, que serão de até 4.99% ao mês para faturas fechadas com vencimento a partir de 15/04/2020 com 60 dias de carência.

Abertura de linha de crédito para donos de pequenos negócios que estão fechados devido à pandemia, com prazo de 20 anos e juros de 1% ao mês, mediante imóvel em garantia;

Os contratos de crédito do Santander são: Capital de giro, Fluxo de caixa, Antecipação de recebíveis, CDC, Renegociação de dívidas e Crédito de solução para fornecedores e clientes.

Além disso, os três bancos listados fazem parte de duas medidas do governo: Financiamento de salários e Benefício Emergencial (BEm) 

Novos negócios – BNDES

O BNDES é um banco voltado ao desenvolvimento de novos negócios, focado em investimentos em apoio a esses negócios. O processo de concessão de apoio realizado pelo banco divide-se em 2 grupos: 

  • Concessão de apoio financeiro em operações diretas (aquelas a partir de R$ 10 milhões, em que o risco de crédito é assumido pelo BNDES) e indiretas não automáticas (de forma geral em operações acima de R$ 10 milhões, em que o risco de crédito é assumido, total ou parcialmente, pelos agentes financeiros);
  • Concessão de apoio financeiro em operações indiretas automáticas (operações com valor menor ou igual a R$ 20 milhões, em que o risco de crédito é assumido pelos agentes financeiros).

Nessas concessões de maior valor, torna-se necessário apresentar um plano de negócios a ser avaliado pelo BNDES ou pelo agente financeiro para aprovar ou não o crédito (Análise de crédito). Planos de negócios são documentos detalhados sobre o funcionamento daquele negócio, com previsões de retorno financeiro e detalhamento de gastos necessários.

A Produção Jr trabalha com elaboração de planos de negócios! Clique aqui e saiba mais!

Está interessado no desenvolvimento de um novo negócio? Clique aqui e entre em contato conosco!

Skip to content